Nossos Poetas

with Nenhum comentário

O poeta vê coisas comuns como matéria de poesia. Da inutilidade das coisas consideradas utéis, re-inventamos a necessidade. Você já guardou luvas no porta-luvas…?

DAS COISAS

Em Bicicletas carregamos bonecas

Em estantes guardamos jarros de flores

Em janelas penduramos roupas

Em alpendres plantamos hortaliças

E mesas flutuam no lago.

Em Vasos guardamos recibos e contas a pagar.

Em jornais embrulhamos cristais.

Mudanças sempre chamam a atenção

Vício da vida é fazer coisas em vão.

(Sumario).

Deixe uma resposta