De tudo Poesia II

with Nenhum comentário

“Distração”

Dois rapazes sentados:

Um olhando pro outro

O outro olhando pro lado.

Esses rapazes nervosos

De amor tão afobado

Um com raiva de si

O outro se achando culpado.

Rapazes na beira da calçada

Achando quão perverso é o mundo:

A vida não vale nada!

Diz o primeiro;

Mesmo assim amar vale a pena,

Argumenta o segundo.

Esperanças que os dois dividem

Um amor que não seja enfadonho

Por isso os dois rapazes sentados

Nervosos e tão tristonhos.

(do livro “Distraídas”, de Sumário).

Deixe uma resposta