seo agency

Tempo de poesia

with Nenhum comentário

Alvorada em Alfa

Todo o peso
Com que me meço
vejo e invejo
e neste largo ver
me largo vendo
até não mais poder
descompreendendo.

O que vi
foi puro e longo ver

quem vi
ver verá
só o que vira
virá

e no que ver
virará.

* Leminski, “La vie en close.” 1991.

Deixe uma resposta