seo agency

Poesia em Gameleira

with Nenhum comentário

Acalanto para Antonio Dantas
– Geraldo Dantas –

Ladra um cão viralata
Canta o Ribeirão do Onça
a canção dos desenganados.

A tristeza fere a insônia
mas meu coração se recusa
a sangrar mais uma vez.

Hoje me faço um bravo
me armo de versos limpos
para guardar a manhã.

Essa noite, não me mato.

* A poesia de Geraldo Dantas em “Itinerários da Gameleira”, Ed. Nova Safra, 1988.

Deixe uma resposta