seo agency

Africa e Brasil

with Nenhum comentário

O Mouro era capitão e aliado de Zumbi

Na luta pela liberdade no Quilombo e contra a opressão branca da colônia, Zumbi não estava sozinho. Os seus guerreiros eram astutos lutadores e o seu povo alimentava uma crença que unia Africa e Brasil, ultrapassava todos os mares, todas as regiões de Africa e a densidade das matas brasileiras.
Georges Bourdoukan pesquisou e escreveu a narrativa da amizade entre o mulçumano Saifudim e o lider Zumbi dos Palmares. Ambos viveram a tensão e a certeza das lutas travadas pela resistência contra a vil sombra e a presença maldita de Domingos Jorge Velho.
A igreja via tudo e benzia os atos dos algozes.
O F de “fugitivo” marcado a ferro e fogo em cada negro fujão, era abençoado pela igreja, que afirmava “os negros não tem alma.”
Karim Ibn Ali Saifudim era mestre me construir fortificações e essa sua experiência ajudou na defesa do Quilombo dos Palmares, com seu amigo judeu Ben Suleiman, aliados dos negros naquelas matas nordestinas.
A narrativa de Bourdoukan em seu livro “Capitão Mouro” revela o que se passava naquele momento na capitania de Pernambuco, as autoridades prostituídas, sejam elas políticas, militares ou eclesiásticas e o desejo sanguinário do bandeirante Jorge Velho em desmantelar Palmares e matar Zumbi. Neste cenário, muita coisa vai acontecer e revelar o que a história oficial não contou nem pretende contar. Por mais que os fatos brotem do chão, como tem brotado e a memória se torne clarividente a cada dia.
Por isso combater o terrível mal nos dias de hoje é tornar possível o rompimento do degredo do pensamento e da memória, já que é impossível ressuscitar homens. para desvelar a verdadeira história.
Conheça a história narrada por Georges Bourdoukan em seu livro lançado em 1997, pela Editora Clacyko Ltda.

Deixe uma resposta