Fogos de Artifício

with Nenhum comentário

Beleza cintilante que esconde perigos

Praticamente todas as civilizações que possuem calendários anuais celebram o Ano Novo, que no Brasil é mais conhecido como Reveillon. A comemoração ocidental do evento tem origem num decreto do imperador romano Júlio César, que, em 46 a.C., fixou o 1º de janeiro, dedicado a Jano, deus dos portões, como o Dia do Ano Novo.

No Brasil, o Ano Novo, ou Reveillon, termo oriundo do verbo réveiller, que em francês significa despertar, costuma ser comemorado com festas e fogos de artifício, principalmente à beira-mar.

Para muitos o Reveillon não é Reveillon sem a queima de fogos, o costume há muito proporciona beleza e fascínio a milhares de pessoas em todo o Mundo. Seja na Praia , no Clube ou até mesmo na Fazenda centenas de pessoas se reúnem para ver a maravilha das cores que invadem os céus, num cintilar iluminado que deixa qualquer um boquiaberto.

Más cuidado! Por trás de toda essa beleza exitem riscos à sua saúde! De acordo com as estatísticas, em épocas de comemorações como o Reveillon e Festa Junina o índice de acidentes provocados por fogos de artifícios aumenta drasticamente. Além de provocar queimaduras, quando explodem, os fogos podem causar mutilações, lesões nos dedos, olhos e até surdez. Uma a cada dez pessoas que mexe com fogos acaba ferida.
O maior risco está entre as crianças, pois a partir dos sete anos de idade começa a fase de curiosidade que por muitas vezes expõe a criança a situações de risco, como colocar bombinha debaixo de uma lata para vê-la saltar.

Neste sentido devemos ter muita atenção para garantir a segurança de todos e alguns cuidados podem evitar maiores problemas…

Alguns cuidados para curtir o Reveillon com segurança:

  • Sempre leia e siga as instruções contidas na embalagem, atentando para o prazo de validade do produto;
  • Sempre use fogos em locais abertos;
  • Sempre armazene fogos em local frio e seco;
  • Nunca tente reutilizar os fogos que tenham falhado;
  • Nunca atire fogos na direção de outras pessoas;
  • Não segure os fogos de artifício com as mãos.
  • Prenda o rojão em uma armação, em uma cerca ou em um muro, e não fique próximo na hora de acender.
  • Nunca atire fogos de lugares fechados, como carros ou residências;
  • Não tente acender fogos que falharem.
  • Nunca faça experiências, modifique ou tente fazer seus próprios fogos de artifício;
  • Nunca utilize fogos após ingerir bebidas alcoólicas;
  • Não desmontar os fogos;
  • Não fumar dentro dos estabelecimentos que vendem fogos.
  • Dispare os fogos somente ao ar livre, um de cada vez, e veja se não há substâncias inflamáveis ou redes elétricas nas proximidades.
  • Tenha sempre um recipiente de água por perto para colocar os foguetes já usados, ou aqueles que falharam, para não haver riscos de novas explosões.

Alguns cuidados importantes em caso de acidentes:

1 – Retirar a vítima do contato com a causa da queimadura:

 a) lavando a área queimada com bastante água, no caso de agentes químicos; retirar a roupa do acidentado, se ela ainda contiver parte da subtância que causou a queimadura;
 b) apagando o fogo, se for o caso, com extintor (apropriado), abafando-o com um cobertor ou simplesmente rolando o acidentado no chão;

2 – Verificar se a respiração, o batimento cardíaco e o nível de consciência do acidentado estão normais.

3 – Para aliviar a dor e prevenir infecção no local da queimadura:

a) mergulhar a área afetada em água limpa ou em água corrente, até aliviar a dor. Não romper as bolhas e nem retirar as roupas queimadas que estiverem aderidas à pele. Se as bolhas estiverem rompidas, não colocá-las em contato com a água.
b) não aplicar pomadas, líquidos, cremes e outras substâncias sobre a queimadura como creme dental, sabão, borra de café, manteiga ou azeite. Elas podem complicar o tratamento.

4 – Se a pessoa estiver consciente e sentir sede, deve ser-lhe dada toda água que deseja beber porém, lentamente e com cuidado.
5- Encaminhar logo que possível a vítima ao Posto de Saúde ou ao Hospital, para avaliação e tratamento.

Outros cuidados:

  •  Não dê água a pacientes com mais de 20% do corpo queimado;
  • Não coloque gelo sobre a queimadura;
  • Não dê qualquer medicamento intramuscular, subcutânea ou pela boca sem consultar um Médico, exceto em caso de emergência cardíaca;
  • Deve-se providenciar o transporte imediato do acidentado, quando a área do corpo queimada for estimada entre 60 e 80%.
  • Além da percentagem da área corporal atingida, a gravidade das queimaduras é maior nos menores de 5 anos e maiores de 60.

Deixe uma resposta