Ação Griô entrega Manifesto a ministra da cultura

with Nenhum comentário

Carta da Rede Ação Griô à Ministra da Cultura Marta Suplicy

Com cópia para a presidente Dilma, deputados federais, estaduais e para a sociedade brasileira

 

ASSINAM ESTE DOCUMENTO:

A REDE AÇÃO GRIÔ; A COMISSÃO NACIONAL DE GRIÔS E MESTRES; A COMISSÃO NACIONAL DOS PONTOS DE CULTURA; A REDE FORA DO EIXO

Prezada Ministra Marta Suplicy

Nossas saudações à sua chegada ao Ministério da Cultura, e que a força dos seus ancestrais lhe guiem neste desafio de gestão.

Desejamos uma gestão dialógica e participativa, que possa garantir a continuidade com avanços, revisando os erros das gestões anteriores com inteligência estratégica, e valorizando os acertos que tivemos nos últimos anos do governo LULA. Avançar sem retroceder nas conquistas efetivadas pelo governo e sociedade brasileira nos últimos 8 anos é responsabilidade  desta gestão e da sociedade civil em sua participação nas políticas públicas. Nossa casa, coração e pontos de cultura estão de portas abertas para compartilhar juntos esta caminhada.

Os Pontos de Cultura, que tem sido objeto de sua admiração e mesmo fascínio, conforme declaração recente em audiência realizada no Senado Federal, fazem parte do programa Cultura Viva, que foi constituído a partir de um conjunto de ações transversais e estruturantes, dentre as quais se destaca a Ação Griô Nacional. Esta ação, inspirada pela experiência nacional e internacionalmente reconhecida do Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô em Lençóis, na Bahia, constituiu uma das experiências mais importantes da história da política cultural brasileiracriada durante o governo Lula, promovendo o diálogo entre a tradição oral e a educação por meio do reconhecimento político, social, econômico e cultural dos Griôs e Mestres de Tradição do Brasil, diferenciando-se das políticas previdenciárias e de salvaguarda já implementadas no País.

.A Rede Ação Griô junto a Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC),  instância de articulação permanente, referência e representação da Rede do Programa Cultura Viva e que  conta com 57 representantes, sendo 27 dos estados da Federação e do Distrito Federal e 30 representantes de grupos temáticos das mais diversas expressões e manifestações culturais, confia em você Marta como a gestora que responderá ao compromisso da continuidade com avanços que o governo Dilma nos fez acreditar e trabalhar.

Segue nesta carta uma apresentação resumida de indicadores qualitativos e quantitativos que comprovam a organicidade, capilaridade e resultados concretos da Ação Griô como uma política publica avaliada como referência m gestão compartilhada e em rede pelo IPEA em 2011, que entre outras conquistas foi reconhecida nas 8 primeiras prioridades  das 32 propostas prioritárias aprovadas na II Conferência Nacional de Cultura (2010) e transformada em projeto de Lei. O projeto da Lei Griô foi  construído de forma compartilhada com a sociedade civil através do trabalho de 2 anos de travalho da Comissão Nacional de Griôs e Mestres de Tradição Oral do Brasil e apresentado no Congresso Nacional com a assinatura de 24 parlamentares de diversos estados e partidos que compõem o conselho executivo da Frente Parlamentar Mista de Cultura do Congresso Nacional.

É notório o mérito da participação popular e dos Pontos de Cultura do Brasil no processo de mobilização nacional da Lei Griô, demonstrando a força da sociedade civil na construção de políticas culturais. Caso aprovada a Lei atestará que “a sociedade civil é capaz de participar da construção de políticas culturais no país, num modelo democrático e propositivo”, afirma Márcio Caires, presidente do Conselho Estadual de Cultura do estado da Bahia e vice presidente do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Cultura. “Precisamos fazer valer nosso direito constitucional de criar nossas leis de baixo para cima, desde os municípios até o estado brasileiro.”

Leia mais clicando aqui

Deixe uma resposta