FIQ: ativistas culturais do Viola de Bolso presentes!

with Nenhum comentário

ladys

 

No mundo feminino dos Gibis

Está acontecendo desde o dia 13 de novembro/13 em Belo Horizonte o 8º Festival Internacional de Quadrinhos – O FIQ, evento que reúne quadrinistas, fãs e ícones das histórias em quadrinhos, os famosos HQ´s. Mariamma Fonseca e Thiago Cotta estão participando de diversas atividades no FIQ; Enquanto que Sumário, Joésia e Marina apenas assistem algumas apresentações e visitam as galerias de Gibis.

Mariamma Fonseca será mediadora na mesa principal de palestra do evento, dia 17 nov/13, em que mediará as falas de quadrinistas, em torno da experiencia da homenageada do FIQ, Laerte, artista que nasceu homem mas atualmente se reconhece como mulher. Laerte estará na mesa, sob a mediação de Mariamma. Claro que esse mérito de coordenar a principal mesa em que estará Laerte, o homenageado do evento, não se deve à atuação dela no Viola de Bolso e sim, por ter idealizado e criado o site Lady´s Comics, que trata da produção feminina dos HQ´s.

 HQ´s e o engajamento feminino

Atualmente os Gibis são indicados até nas escolas e muitos dos heróis das revistinhas ganharam a tela do cinema. Mas independentemente de heróis, as HQ´s tem cada vez mais ligação com a história e a luta dos povos em todo o mundo, como bem ilustra a projeção da obra de arte de Marjane Satrapi, uma mulher iraniana retada que criou a HQ ‘Persépolis”, que também foi retratada no cinema.

 A novidade – para os homens – é que as mulheres entraram ‘de cara’ no mundo das HQ´s, porque supunha-se que o universo dos Gibis era exclusivamente masculino, porém a produção feminina é tanto quanto numerosa como a dos homens, só que pouco conhecida, porque – todos sabemos que a mídia também é masculina, apesar do artigo ‘a’ – a imprensa não divulga e os próprios artistas quadrinistas são receosos com a movimentação das mulheres nesse universo.

O grande lance também é que as mulheres nas HQ´s pensam mais, trazem elementos mais críticos e melhor se situam na história. Quer dizer, não são alienadas.

Exemplo disso é o pessoal feminino do Lady´s Comics que começou apenas como um site e hoje ganhou status de movimento quadrinista feminino, talvez o único movimento que reune características que faltam no universo dos HQ´s no Brasil: leitoras vorazes dos Gibis, críticas literárias da produção de HQ´s, organizadoras dos processos históricos e da memória cultural dos quadrinhos no mundo a partir da ótica feminina(as Lady´s comics organizam e elencam as ações culturais dos Gibis produzidas pelas mulheres na história dos HQ´s), além de serem ativistas permanentes em busca de novas criações no setor dos Gibis, estimulando e divulgando novas produções. Mariamma por exemplo, idealizou a Gibiteca Angelo Agostini, que funciona no Ponto de Cultura do Viola de Bolso, em Eunápolis, interior da Bahia.

Deixe uma resposta