Copa, cozinha, varanda e a primazia de viver

with Nenhum comentário

 

 

 

 

 

 

 

Gravura Joesia

      

 

Eis o que o nosso povo precisa

Moradia digna e a primazia de viver em sua comunidade, com praça e rua, com saneamento e escola, com pão e liberdade.

 

Mas na contramão da história, na ficção da mídia brasileira e no frisson da copa do mundo, o nosso país descamba para a repressão e a violência institucionalizada. Bem no ano em que celebramos com muita dor os 50 anos da luta contra a ditadura militar.

 

A copa do mundo não é nossa e não tem nada de bom para o povo brasileiro. Estamos condenados a um maldito legado após a sua realização, que não passa pelos gols nem se reflete na telinha da TV. A copa é um chute na canela do povo brasileiro. Só que a canela está anestesiada e nem sente a dor ainda, mas no dia seguinte….

 

É muita coincidência reparar que as manifestações difusas de junho de 2013 completarão um ano bem em meio aos jogos da copa e de lá pra cá quantas violações aos direitos humanos – como sempre ocorreu no Brasil – se multiplicaram em nome da ordem pública patrocinada pelo estado nacional. Entre o discurso da suposta violência dos manifestantes e a ação brutal da polícia e seus cães raivosos, a única diferença está no número de vítimas da violência policial e dos inúmeros casos de intimidações a jovens estudantes, líderes sindicais, dirigentes comunitários, jornalistas e etc. E isto depois dos 50 anos contra a ditadura militar!

 

Em entrevista ao jornal Brasil de Fato, João Tancredo que é advogado e presidente do Instituto de Defesa dos Direitos Humanos (DDH) e que tem atuado na defesa dos presos políticos das manifestações no Rio de janeiro, fala: O Brasil é um dos poucos países que têm lei para tudo. Então, basta usá-las. A questão é que eles querem uma legislação mais dura por conta da copa do mundo. Existem grupos econômicos poderosos que querem afastar as pessoas das ruas, de qualquer manifestação. Manifestante ser chamado de terrorista é um absurdo grande. Manifestante é manifestante. Agora, tem gente que é delinquente e aí o crime está lá previsto. Se cometeu algum crime previsto no código penal, tem que ser preso. A legislação tem previsão para tudo. Não tem que criar mais nada, basta aplicar o existente. . Nesta entrevista, ele diz que a legislação brasileira atual dá conta de todos os crimes eventualmente cometidos nas manifestações e defende que o que está por trás da proposta de lei antiterrorismo, que tramita no Congresso Nacional, são os interesses econômicos ligados à Copa do Mundo.

 

Por isso tem e deve crescer as manifestações contra as mazelas da Copa do mundo no Brasil, porque o silencio dos cidadãos somente vai legitimar o jogo político dos grupos econômicos e o crime estatal que se segue nestes anos. Crimes contra as pessoas, contra o meio ambiente e contra as culturas. Além disso, é visível um clima de ditadura que se instalou no País de junho pra cá. Ditadura civil-militar: de mãos dadas os milicos e os asseclas no Congresso nacional.

 

Fonte: Brasil de Fato

 

Deixe uma resposta