Viola defende Ação Griô na Teia Nacional

with Nenhum comentário

 

 

 

 

 

BANNER

Pedagogia Griô fortalece a programação da Teia Nacional da Diversidade 

 

 A Pedagogia Griô, criada a partir das ações pedagógicas desenvolvidas no ponto de cultura Grãos de Luz e Griô, em Lençóis, será partilhada durante um espaço de vivência na Teia Nacional da Diversidade – 5º Encontro Nacional dos Pontos de Cultura e das redes da diversidade que integram o Programa Cultura Viva. O encontro acontece às 9 horas do próximo sábado, 24, no Departamento de Artes 06, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

 À frente da iniciativa está o conselheiro de cultura da Bahia Márcio Caires, um dos dirigentes do ponto de cultura Grãos de Luz e Griô. A Pedagogia Griô atua como mediadora na sistematização das práticas e saberes de tradição oral, trabalhando seus conceitos e os processos de transmissão e circulação que são adaptados para dialogar com o saber formal nas escolas. O foco é facilitar uma iniciação pedagógica da escola e de griôs aprendizes para integrar todas as nuances dos saberes e fazeres tradicionais da comunidade.

 

“O griô tem a função social de ser o guardião da memória viva de um povo e de garantir a transmissão oral de seus saberes e fazeres. Ele vincula a identidade do seu povo à sua ancestralidade”, explica o conselheiro Márcio Caires.

 

Durante a Teia, Márcio Caires e a educadora Líllian Pacheco apresentarão os conceitos, os princípios, o modelo de ação pedagógica e as práticas da Pedagogia Griô. Além de ser integrante do ponto de cultura Grãos de Luz e Griô, Líllian é autora do livro Pedagogia Griô: reinvenção da roda da vida, obra compartilhada com mais de duas mil entidades parceiras do Programa Cultura Viva.

 

PROGRAMAÇÃO – Ainda no evento, o conselheiro Márcio Caires e Líllian Pacheco serão facilitadores em rituais de vínculo e aprendizagem com cantos, danças e histórias de tradição oral. Serão promovidos encontros dialógicos que exemplificam práticas de mediação que a Pedagogia Griô sistematizou entre o universo da tradição oral e o universo da educação formal.

 

“A Pedagogia Griô faz parte da história do Programa Cultura Viva. O Grãos de Luz e Griô foi um dos primeiros pontos de cultura reconhecidos no Brasil em 2005, e ao conhecê-lo, o então secretário do MinC, principal idealizador do programa, Célio Turino, realizou uma viagem a Lençóis para vivenciar as práticas da Pedagogia Griô nas oficinas com crianças, na formação de educadores, nas trilhas educativas nas comunidades. Célio sentou no chão e na roda, se emocionou, se vinculou com mestres griôs, aprendeu e ensinou. Depois desta viagem, nos solicitou o desenho da proposta da linha de ação que faltava ao Programa Cultura Viva”, comenta Líllian Pacheco.

 

Assim, a Ação Griô Nacional foi proposta pelo Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô ao programa Cultura Viva, da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural, que, em 2006, reconheceu mais de 750 mestres griôs e griôs aprendizes do Brasil com bolsas de incentivo griô. Todos foram acompanhados pedagogicamente para atuarem na educação formal das crianças de suas comunidades, facilitando a criação da Comissão Nacional dos Griôs e Mestres para escrever a Lei Griô.

 

TRADIÇÃO ORAL – Durante a vivência no Teia Nacional da Diversidade, Caires pretende falar sobre o Projeto de Lei Griô (PL 1.786/2011), que prevê que seja instituída a Política Nacional Griô, para proteção e fomento à transmissão dos saberes e fazeres de tradição oral na educação do povo brasileiro.

 

“Um grande avanço que propomos na Lei Griô é não tratar o mestre como uma pessoa isolada. Ela propõe um vínculo do mestre griô com um griô aprendiz, com pontos de cultura e com a escola. É planejada a integração dos mestres griôs com os jovens e com os educadores e lideranças comunitárias para recriarem processos educativos pelo fortalecimento da identidade e ancestralidade de seu povo”, explica Caires.

 

A ação conta com uma rede de 130 projetos, que envolve mais de 750 griôs e mestres bolsistas de tradição oral do Brasil, 600 escolas, universidades e outras entidades de educação e cultura com projetos de dialogo entre tradição oral e a educação formal.

 

Conheça a AçãoGriô Nacional

 

A luta pelo projeto de lei contou com ampla participação da sociedade civil, passando desde as conferências municipais de cultura até a conferência nacional, que envolveu mais de 200 mil representantes culturais do Brasil, e elegeu a lei como prioridade política nacional. O texto foi disponibilizado por meio de consulta pública por meio de uma página na internet.

 

A mobilização popular contou com o recolhimento de mais de 200 mil assinaturas de apoio ao projeto, o que impulsionou que a Frente Parlamentar Mista de Cultura do Congresso Nacional, com apoio da sua presidenta, a deputada Jandira Feghali, e mais 23 deputados de diversos partidos políticos aprovassem o projeto, que hoje está em tramitação na Comissão de Cultura do Congresso.

 

PONTO DE CULTURA – Ainda na programação do Teia Nacional da Diversidade,o Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô participará da mostra artística audiovisual com a “Mostra de Vídeo do Prêmio Griô na Escola, na internet e na TV”. O projeto busca produzir 200 registros audiovisuais de estudantes e educadores que compartilham seu vínculo de aprendizagem com os mestres e griôs de tradição da comunidade da qual fazem parte.

 

“Os vídeos levantam questões importantes discutidas na Pedagogia Griô como o papel do griô aprendiz, os espaços pedagógicos, o lugar da tecnologia no diálogo com a tradição e o vínculo entre os mais velhos e os mais jovens. Debatemos ainda os mitos na educação, questões étnico-raciais e a intolerância religiosa”, explica Delvan Quilombola, jovem formado na Pedagogia Griô e em produção audiovisual do Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô.

 

Fique por dentroda programação do Teia da Diversidade

 

EVENTO – O Teia da Diversidade é promovido pela Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC) e pela Comissão Nacional de Pontos de Cultura (CNPdC). O evento acontece de 19 a 24 de maio, em Natal (RN), e temo intuito de fortalecer o exercício dos direitos culturais, promovendo a atuação cultural em rede.

 

Este ano, além dos pontos de cultura, participam grupos do “Encontro da Diversidade”, que congrega segmentos das políticas setoriais atendidos pelo Programa Brasil Plural. Entre os grupos contemplados estão culturas populares, culturas indígenas, culturas ciganas, LGBT, crianças, idosos, juventude, hip-hop e pessoas com deficiência.

 

No encontro regional da Bahia, que ocorreu entre 08 e 10 de maio, a temática da tradição oral foi pautada durante uma audiência pública que reuniu representantes do MinC, da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA) e mestres griôs. O debate girou em torno dos marcos regulatórios da sociedade civil para a Lei Cultura Viva e, em especial, à Lei Griô e dos Mestres. Também fez parte da programação uma oficina sobre a metodologia da Pedagogia Griô.

 

 Saiba como foi a oficina da Pedagogia Griô no Teia Bahia

 

 

Deixe uma resposta