INSCRITOS NOS ESDITAIS DA SECULT BAHIA

with Nenhum comentário
corrredor de entrada no Viola de Bolso
corrredor de entrada no Viola de Bolso

A Secult Bahia divulgou nesta semana o resultado na análise prévia dos projetos apresentados aos Editais Setoriais da Cultura na Bahia. De acordo os dados da Secult Bahia:

A Secretaria da Cultura da Bahia (SecultBA) selecionou 2600 propostas na análise prévia dos 23 Editais Setoriais 2016 do Fundo de Cultura da Bahia.

Os dados da Secult Bahia informa que as propostas tem a participação de proponentes dos todos os 27 Territórios de Identidade.

Vale ressaltar que o aporte financeiro dos Editais totaliza a soma de R$ 31,620 milhões em investimentos nas mais diversas áreas da cultura.

O setorial de Música foi o que recebeu maior número de propostas, 452, seguido pelo Audiovisual – desenvolvimento e difusão (288), Teatro (256) e Dinamização de Espaços Culturais (252).

Os inéditos Capoeira e Leitura receberam inscrições de 143 e 61 propostas, respectivamente, oriundas dos territórios do Baixo Sul, Sertão Produtivo, Médio Sudoeste da Bahia, Vale do Jiquiriçá, Chapada Diamantina, Bacia do Paramirim, Sertão do São Francisco, Região Metropolitana, Sisal, Litoral Sul, Piemonte da Diamantina, Recôncavo, Extremo Sul, Irecê, Velho Chico e Costa do Descobrimento.

Uma breve análise indica o aumento das propostas, mas não confirma que as necessidades e demandas apresentadas ao longo das Conferências de Cultura na Bahia ou a aplicação das Leis da Cultura na Bahia tenham alcançado as diferentes realidades dos territórios. À primeira vista, se apurarmos as contas do crescimento de projetos inscritos, veremos que foi uma enxurrada de projetos da região metropolitana de Salvador(RMS) quem aumentou o índice de propostas, muito mais do que a irradiação da política de mobilização e diálogo que a Secult tem desenvolvido muito bem, diga-se de passagem, através da sua Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura, ampliando o lastro das articulações nos diversos municípios dos territórios baianos. Será preciso investir na formação de agentes culturais nos territórios e que tenham a capacidade de apresentar boas propostas de projetos culturais, para ir de encontro ao que a Secult Bahia propoe, que é a descentralização do financiamento e a elevação das atividades culturais em toda a Bahia, considerando que é fundamental afirmar que a cultura é um direito e tal direito vale para todos, assim como a educação, a saúde e a assistência social amplas. Por isso os projetos que tenham mais consistência na perspectiva estruturante, de qualificação e criação coletiva deveria ter maior reconhecimento e serem fortalecidos.

A quantidade de projetos inscritos no Edital Setorial de música, demonstra por exemplo, que ainda este é um segmento voltado para eventos de natureza pontual, individual ou de um grupo isolado(um festival, a produção de um CD, shows específicos), cuja ação se encerra em si mesmo e não fortalece direitos, apesar de sua força criativa e importância artística.

Já o Edital de Grupos e Coletivos, que mereceria uma boa quantidade de propostas que tivesse em seu bojo a atuação no direito e cidadania cultural, articulando ações coletivas de mobilização, vinculando a luta pela política pública de cultura em toda a Bahia(municípios principalmente), uma vez que, em geral, tais coletivos ou grupos culturais tem em sua maioria, uma juventude antenada e atuante no campo da cultura.

O Setorial de Livro também deixou a desejar, com um quadro mínimo de proposições, infelizmente. Dada a política de incentivo à leitura e à ampliação das Bibliotecas comunitárias, era de se esperar que também o setor do livro, novos escritores, ligados ou não a editoras na Bahia, apresentassem um numero maior de projetos, em virtude do apoio e das orientações que a Fundação Pedro Calmon tem feito.

De modo geral, é bem positivo o resultado dessa fase de inscrição dos projetos. Em que pese a contundência da região metropolitana nas proposições, esperamos que os projetos advindos das cidades dos diferentes territórios sejam capazes de ir de encontro ao que a Sudecult tem proposto, que é a ampliação e fortalecimento das culturas em toda a Bahia.

Segue abaixo os números de projetos inscritos por grupos ou pessoas físicas, nos territórios Costa do Descobrimento e Extremo Sul da Bahia, regiões de atuação do Viola de Bolso.

Número de Projetos Inscritos:

Costa do Descobrimento: 44 projetos

Extremo sul da Bahia: 19 projetos

Mais informações acesse o site da Secult Bahia aqui

Saiba mais:

Os projetos selecionados nesta primeira fase seguem, a partir de agora, para a análise do mérito, que será realizada por comissões temáticas formadas por especialistas de diversas áreas da cultura e utilizarão como parâmetros as exigências apresentadas em cada edital, além dos interesses das políticas públicas culturais do Estado. No edital setorial anterior, 2013/2014, foram enviadas 2.650 propostas.

Deixe uma resposta