Jazz tem encontro marcado no Viola

with Nenhum comentário
jazz no viola segunda, 16 de abril

Amigos músicos, quase um Clube do Jazz em formação

A música instrumental em Eunápolis ganhou uma composição sonora nova, um novo espaço físico no Viola de Bolso e uma roda musical em que os que falam são os instrumentos, as guitarras principalmente. Já é o segundo encontro da turma de músicos, dando destaque ao Jazz. E todos afirmam em uníssono, que a ideia é somente ampliar conhecimento, exercitando a criação musical e agregando novos instrumentistas.

Eunápolis e a música

O cenário musical eunapolitano teve mudanças significativas nos últimos anos, resultado de diversos fatores, dentre eles, destacamos a extinção de diversas bandas de bailes e de showmícios , causando uma diáspora, uma dispersão de muitos músicos que viviam desse formato de trabalho musical, mas que buscou novos espaços de apresentação, principalmente os bares de Eunápolis ou de cidade vizinhas, as do litoral então. É notável que o crescimento da cidade e a chegada de muitos músicos jovens, de estilos diferentes ampliou este cenário musical, sem no entanto permitir afirmar que a qualidade musical mudou para melhor. Mesmo porque também foi neste período, tipo dez anos atrás, que a música de gosto duvidoso ganhou os paredões nos carros, se infiltrou nas rádios e ampliou os seus tentáculos na TV, articulados pelo mercado musical no Brasil.

Em Eunápolis talvez esteja neste momento ocorrendo um despertar da nova musicalidade, após a saturação da musica repetida nos barzinhos e da indiferença já pressentida com o som agressivo dos paredões.

Em Eunápolis já é possível encontrar músicos que aprofundaram seus estudos, que ministram cursos e whorkshops, que agregam e criam novas bandas com propostas voltadas mais para a produção autoral, de criação de arranjos, de gravação de discos e de divulgação nas redes sociais, com mensagens mais diretas e reflexivas, com improvisações sonoras e musicalidade excepcional, fugindo do clichê dos barzinhos ou do entretenimento nas festas de aniversário de “autoridades” da cidade.

A iniciativa do grupo de instrumentistas que atualmente tem se reunido no Espaço cultural do Viola de Bolso é reflexo disso, de busca e de encontro de um fazer musical independente, aberto às criações sonoras que exploram os instrumentos e todos os recursos multimídia, dos efeitos harmônicos e das distorções elaboradas na hora.

O som é coletivo e cada um se abre à virtuose de suas improvisações. É bonito de se ver, mas principalmente de se ouvir.

Deixe uma resposta