SEMINÁRIO SOBRE CULTURA AMPLIA PARTICIPAÇÃO

with Nenhum comentário

presença de diversos segmentos culturais

“A Cultura é o caminho…melhor dizendo, a cultura é a luz que ilumina o caminho.”, assim disse Lucas Leite, em palestra proferida no Seminário “A Cultura tem futuro”, realizado no espaço cultural do Viola de Bolso, na noite de quinta feira 03 de maio/18.

O evento teve início com os cantos de capoeira, sob a regência do mestre Eudóchio Rodrigues, da Associação de Capoeira Ginga Eunápolis, que reuniu no palco três berimbaus, percussão e as vozes entoando cantos e sambas de roda que falam da luta de resistência dos Capoeiras na Bahia e no Brasil. Em seguida os jovens Esdras e Harnefer, músicos da cidade, trombonistas de paixão, acompanhados por Anselmo do Viola de Bolso, executaram lindamente, duas canções brasileiras, do tempo da bossa nova.

Associação Capoeira Ginga

Sintonizados pelas músicas e pelo som do berimbau, o bate papo começou e foi muito bom.

Moana Pinheiros, do Viola de bolso, abriu a reflexão pontuando a Cultura como afirmação do presente que conectam os sinais de futuro e nos anima. Ao falar das expressões identitárias brasileira, ressaltou que necessitamos ampliar os entendimentos e confirmar que dada a riqueza cultural, podemos dizer que são diversas as culturas.

Ciro Lins, professor de história e ativista cultural foi enfático na sua fala, sinalizando as possibilidades de futuro que a Cultura apresenta, sobre a crença da cultura como prática da liberdade. Falou Ciro sobre o contexto brasileiro atual e a necessidade de botar o bloco na rua, diante da ameaça aos direitos sociais e aos direitos culturais, lembrando de fatos ocorridos em São Paulo, onde peças de teatro e obras de artes foram censuradas e impedidas de atuar ou serem mostradas, por agentes do estado. Ao final, Ciro Lins convocou a todos para nos movermos na resistência, buscando as formas de fazer a cultura como luta política, para mudanças reais.

Lucas Leite, ex-vereador em Eunápolis também ressaltou o papel da cultura nos tempos atuais e lembrou de sua luta para garantir o direito à cultura me âmbito municipal, ao propor e conseguir o apoio dos outros parlamentares municipais, a aprovar as leis da cultura, sobretudo a lei de criação do sistema municipal de cultura.

publico presente

Finalmente Sumario Santana, do Viola de Bolso falou da proposta construída pelos ativistas culturais do Viola, que está em sua fase de ampla divulgação e mobilização de outros agentes culturais. O projeto “A Cultura tem futuro”, nessa fase atual, pretende criar as condições para se tornar uma campanha em que os diversos segmentos culturais possam aderir e contribuir nas propostas iniciais do projeto. Sumário lembrou que até o momento o governo municipal não se manifestou e nem a imprensa prestou a atenção devida ao projeto, sem considerar o marco histórico que é a presença do Viola de Bolso na cidade e pela primeira vez uma instituição apresentar um projeto cultural para a cidade, que abrange os bairros, os equipamentos culturais, a legislação cultural vigente no município, a diversidade cultural e as diferentes linguagens artísticas em Eunápolis.

Apresentação musical
Ciro Lins

O debate foi bem participativo, muito embora percebida a ausência de alguns segmentos culturais. Mas isso faz parte.

O projeto pode ser lido aqui

Deixe uma resposta