carros, polícia e racismo

with Nenhum comentário

Narrativas de rua,

dia 07 de novembro, quarta feira da consciência negra.

EU VI.

André Abujamra e Mauricio Pereira contaram e cantaram essa história pra gente:

Eles disseram assim:

Existem mil estórias de carro e racismo e essa é apenas uma delas.

Eu vi, eu juro que eu vi…

Era um sábado à noite, rua augusta, um Passat.

no Passat três negões…{repare bem}

O som rolava solto no Passat

Eu vi, eu juro, eu estava lá…

De repente, uma viatura na rua augusta:

E a polícia vem descendo, sirenes ligadas, vem chegando a polícia.

Era um

Camburão que logo mandou o passat, ele parar.

A polícia mandou o Passat parar:

– Mão no pescoço, todo mundo fora do passat!

{eu vi}, assim que os pretos saíram do Passat, um deles jogou diversos pacotes no fundo do carro.

Continuaram…

Revistando os negros, parece que eles tavam limpos. E eu vi

– eles tavam limpos eu vi!

De repente,

um motoqueiro! parou bem do meu lado, e ele disse assim:

– É duro ser preto!

– É duro ser preto!

E saiu voando em sua moto…

Obs: texto a partir de letra da música de Os Mulheres Negras, banda que surgiu na década de 1980.

Assistam aqui

Deixe uma resposta